3 Dicas para palestrantes e professores sentirem menos a boca seca | bioXtra

3 Dicas para palestrantes e professores sentirem menos a boca seca

 em Boca seca, Causas

Trabalhar com o uso excessivo da fala pode trazer como consequência a sensação de boca seca. Conheça dicas para professores e palestrantes evitaram a xerostomia.

A boca seca ou xerostomia, como o problema é chamado clinicamente, atinge pessoas por diversos motivos. Entre as principais causas, estão os efeitos colaterais de medicamentos, de doenças, de tratamentos oncológicos, desidratação, ronco e lesão nos nervos.

Complicações de ordens emocional e psicológica também podem causar a sensação de boca seca, uma vez que a ansiedade, a depressão e o estresse têm como uma de suas consequências a redução da produção salivar.

Falar em público e boca seca

O estilo de vida é uma das variáveis que influenciam no aparecimento da xerostomia. Pessoas que trabalham com o público, como palestrantes, professores, atores e cantores, precisam lidar diariamente com diversas questões relacionadas ao problema.

A ansiedade e o nervosismo para passar segurança aos seus alunos e espectadores, o estresse de preparar materiais a serem apresentados a grandes públicos e a própria desidratação por conta do uso excessivo da fala são alguns dos fatores que devem receber atenção especial.

Profissões que exigem a utilização da fala e o relacionamento constante com o público podem gerar ainda outros efeitos no profissional por questões psicológicas e fisiológicas, como ansiedade, dores no corpo, sudorese e esgotamento mental. Por isso, cuidar de cada detalhe é fundamental, a fim de que a saúde não seja comprometida ao longo da carreira.

Dicas para professores e palestrantes

Lecionar e ministrar palestras são atividades admiráveis, mas que exigem cuidados especiais de quem as realiza. Conheça algumas dicas para evitar os efeitos da ansiedade, do nervosismo e da boca seca durante sua trajetória profissional:

1 Domine o assunto

Ter propriedade sobre o tema da aula ou palestra faz toda a diferença nos efeitos em que a situação provoca tanto na plateia quanto no profissional. Dominar o conteúdo que está sendo passado ameniza situações de nervosismo e ansiedade, além de transparecer credibilidade e gerar muito mais interesse aos espectadores.

O recomendado é que você escolha somente temas que tenha total domínio para falar, para que possa sanar dúvidas e lidar com pequenos imprevistos diante do público. Além disso, é muito importante preparar-se com bastante antecedência para o evento, com material de apoio e revisão de conteúdo em dia.

2 Leve uma garrafinha de água

Hidratar-se durante aulas e palestras de longa duração ajuda a manter a boca úmida, sem que a fala ou o fluxo salivar sejam comprometidos. Recomenda-se também beber bastante água durante o dia, para evitar a desidratação decorrente do suor excessivo e do cotidiano agitado.

3 Estimule o fluxo salivar

Utilizar estimulantes salivares fora do horário de trabalho auxilia a manter a produção de saliva adequada. Os principais estimulantes são os mastigatórios, como os dispositivos mecânicos de silicone (sialogogos); e os gustatórios, como alimentos moderadamente azedos, pastilhas e balas sem açúcar.

Manter a saúde bucal em dia fundamental para todas as pessoas. Contudo, quem trabalha com a fala e com o público tem mais tendência a sofrer consequências incômodas, como a sensação de boca seca. Além do desconforto diário, o problema pode acarretar complicações maiores, como halitose, cáries e infecções.

Compartilhe este artigo com seus professores e palestrantes preferidos: ajude-os a cuidarem da sua saúde!

Postagens Recentes

Deixe um Comentário