Apneia noturna: entenda o que é e como tratar | bioXtra

Apneia noturna: entenda o que é e como tratar

 em Causas

Sofrer sintomas difíceis de diagnosticar podem causar sérios problemas no dia a dia. A apneia noturna causa sonolência durante o dia, irritabilidade e outras situações desconfortáveis. Conheça esse distúrbio.

A apneia do sono, também conhecida como apneia noturna, é um distúrbio que ocorre quando a pessoa sofre pequenas e repetidas paradas respiratórias enquanto dorme. Os bloqueios de passagem de ar pela garganta em quem têm o distúrbio costumam durar no mínimo dez segundos e mais de cinco vezes por hora de sono.

Existem dois tipos de apneia noturna: a apneia obstrutiva do sono e a apneia do sono central. A primeira é a forma mais comum da patologia e acontece quando os músculos relaxam durante o sono e as vias respiratórias ficam obstruídas. Já a apneia do sono central ocorre quando o cérebro não é capaz de enviar sinais para os músculos respiratórios.

Muitas pessoas não têm ciência de que sofrem com o distúrbio, o qual apresenta como sintomas ronco descomunal, irritabilidade, fadiga, sonolência durante o dia, dores de cabeça ao amanhecer, repetidos despertares noturnos e distúrbios cognitivos.

Causas

A apneia noturna pode ser causada por diversos fatores. Conheça-os:

  • Obesidade: a maior causa entre os adultos, já que o acúmulo de tecido mole na garganta bloqueia a passagem de ar.

 

  • Idade: o distúrbio é mais comum entre pessoas acima de 50 anos, uma vez que os músculos da garganta e da língua tendem a relaxar com o tempo. Entretanto, amigdalas e adenoides podem provocar apneia do sono em crianças.

 

  • Anomalias anatômicas: formatos desproporcionais da cabeça e do pescoço podem impedir a passagem de ar, resultando em apneia. Além disso, mudanças nos ossos do crânio, como a mandíbula ou maxilar curtos, desvio de septo, hipertrofia das amígdalas ou das adenoides e pólipos nasais também são fatores de risco.

 

  • Posição do sono: dormir de barriga para cima é a posição que mais propicia o bloqueio das vias aéreas. Corre-se dois riscos dormindo dessa maneira: a possibilidade de a língua cair em direção à garganta e o esgotamento da musculatura da faringe.

 

Como tratar

As principais formas para impedir ou amenizar as situações de apneia do sono são:

1. Adotar um estilo de vida saudável

Manter uma alimentação balanceada e uma rotina que inclua exercícios físicos regulares são as principais medidas a serem tomadas pelos indivíduos que sofrem com a doença, uma vez que o excesso de peso é a sua principal causa. Além disso, é importante reduzir o consumo de álcool, evitar cigarro e medicamentos para dormir, como ansiolíticos.

2. Utilizar aparelhos orais

Existem aparelhos orais que adequam a posição da mandíbula e da língua, resolvendo assim a situação de muitos pacientes com apneia noturna em níveis leves a moderados. Estes aparelhos devem ser utilizados somente durante o sono e posicionam a mandíbula mais para frente, desbloqueando a passagem de ar pela garganta.

3. Tratar com Continuous Positive Airway Pressure (CPAP)

Os casos mais graves de apneia noturna exigem o tratamento com CPAP, que consiste na utilização de uma máquina de fluxo de ar contínuo, o qual emprega uma pressão positiva nos tecidos da garganta. Neste caso, o indivíduo deve usar uma máscara integrada à máquina enquanto dorme.

Diversos são os sintomas e as consequências que a apneia noturna não tratada podem trazer para a rotina do paciente. Você tem ou conhece alguém com essa doença? Compartilhe nosso conteúdo, assim ajudamos muito mais pessoas.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário