Dificuldade na deglutição após quimioterapia e radioterapia: saiba as causas e tratamento | bioXtra

Dificuldade na deglutição após quimioterapia e radioterapia: saiba as causas e tratamento

 em Câncer

A disfagia pode ser efeito de tratamentos oncológicos como quimioterapia e radioterapia, como também ser consequência do própria câncer. Entenda o problema e saiba como tratar.

O tratamento do câncer tem como objetivo a cura ou alívio dos sintomas da própria doença. No entanto, tratamentos como quimioterapia e radioterapia, além dos procedimentos cirúrgicos, podem causar efeitos colaterais desagradáveis nos pacientes.

A intensidade dos efeitos adversos varia de acordo com o paciente, intensidade e tempo de terapia. A disfagia ou dificuldade para deglutir é uma consequência bastante comum em pacientes submetidos a tratamentos oncológicos na região da cabeça e pescoço.

A deglutição é uma sequência de contrações musculares que facilitam a passagem do alimento ou líquido pela garganta, até chegar o estômago. Os pacientes com problemas para deglutir podem sentires dores, engasgarem-se, tossir e até regurgitar enquanto realizam o processo.

Fases da deglutição

O percurso do bolo alimentar até o estômago sem que seja aspirado é consequência da interação complexa entre vários músculos e nervos que auxiliam nessa função. O processo de deglutição passa por quatro fases, de maneira muito rápida, que são:

  • Fase 1 – Preparatória: fase voluntária, em que o bolo alimentar é formado com a trituração dos alimentos, misturando-se à saliva;
  • Fase 2 – Oral: outra etapa voluntária, na qual o bolo alimentar é posicionado e projetado par atrás por meio de movimentos ondulatórios da língua;
  • Fase 3 – Faríngea: fase involuntária considerada a mais complexa do processo, dado o grande número de estruturas que atuam nesta etapa. Inicia-se com a resposta da deglutição é desencadeada e o bolo alimentar passa pelo véu palatino elevado, pela epiglote e pela região laringotraqueal protegida. O trajeto dura de 0,7 a 1 segundo e envolve, portanto, as funções respiratória e digestória.
  • Fase 4 – Esofágica: última fase e também involuntária, na qual o bolo alimentar é conduzido por movimentos peristálticos até o estômago.

Causas

As pessoas diagnosticadas com câncer podem sofrer com disfagia por dois motivos: por causa da própria doença, como no caso do câncer de esôfago ou garganta, que chegam a diminuir o tamanho do esôfago; ou como efeito da quimioterapia, radioterapia ou cirurgia na região da cabeça e pescoço.

Os efeitos dos tratamentos de câncer na saúde bucal podem incluir ainda: boca seca (xerostomia); ferimentos, dor ou inflamação na garganta e boca (mucosite); infecções; inchações; e alterações físicas.

Tratamento

A recomendação para quem passa por dificuldades de deglutição é consultar um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo, dependendo do caso. Esses profissionais são habilitados para orientar o paciente a utilizar os músculos da boca e garganta e lhes indicar o melhor tratamento.

O médico do paciente com câncer poderá ainda receitar medicamentos para diminuir a inflamação, infecção ou dor para engolir. Caso a deglutição impeça que a pessoa se alimente de modo satisfatório, será preciso que ela receba alimentação por meio de um tubo, para evitar problemas mais graves durante o tratamento oncológico.

Engasgar, tossir ou vomitar durante o processo de deglutição é incômodo para todas as pessoas. Alimentar-se de forma prazerosa, saudável e satisfatória é essencial para manter a qualidade de vida. O seu momento de alimentar-se tem sido agradável? Compartilhe conosco nos comentários.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário