Doença celíaca e saúde bucal: entenda os riscos! | bioXtra

Doença celíaca e saúde bucal: entenda os riscos!

 em Causas, Dia a dia

A doença celíaca é uma condição autoimune de pessoas com dificuldade para ingerir o glúten. O distúrbio gera vários sintomas e alguns deles dizem respeito à saúde bucal. Conheça.

A doença celíaca é uma patologia autoimune que afeta pessoas com tendências a essa condição. As pessoas celíacas têm dificuldade de digerir o glúten, isto é, as proteínas existentes em alguns grãos, como o trigo, o centeio, a cevada e o triticale.

A reação dos celíacos à ingestão do glúten gera danos ao intestino delgado, o que inviabiliza a absorção adequada do alimento. Existem diversos sintomas associados à doença celíaca e, entre eles, estão alguns ligados à saúde bucal. Entenda melhor.

O QUE É DOENÇA CELÍACA

A doença celíaca é uma reação defensiva do organismo à ingestão do glúten. O problema gera uma inflamação grave no intestino e pode levar à desnutrição gerada por má absorção de nutrientes.

A reação acontece por causa da não digestão de partículas de glúten, as quais conseguem ultrapassar a parede intestinal. Com isso, é provocada uma reação imunológica que acaba agredindo a camada superficial do intestino delgado, o que gera uma inflamação.

A disfunção vai se agravando com o tempo e destruindo as vilosidades do intestino –aquelas saliências parecidas com dedos responsáveis pela absorção de nutrientes. As proteínas mais conhecidas nocivas aos celíacos são a gliadina (trigo), a secalina (cevada) e a hordeína (centeio). O problema não tem cura e o único tratamento é evitar a ingestão do glúten.

SINTOMAS

Os sintomas mais comuns da doença celíaca são:

Alteração anormal do peso;

Anemia;

Cólicas ou desconfortos abdominais;

Diarreia constante;

Distensão do abdome;

Gases intestinais;

Prisão de ventre.

Há ainda os sintomas como cansaço, dor óssea ou articular, fraqueza, formigamento de mãos e pés, infertilidade, osteopenia e osteoporose. Já outros se referem à saúde bucal, como defeitos no esmalte dentário e herpes.

CELÍACOS E SAÚDE BUCAL

Os celíacos podem ter complicações graves na região da boca, se não evitarem a ingestão do glúten. Ainda que sejam efeitos menos comuns, a doença celíaca pode gerar:

AFTAS

As aftas ou estomatites aftosas são ulcerações bucais desconfortáveis que aparecem em tecidos moles, como no interior das bochechas e no palato (céu da boca). O desenvolvimento de aftas pode dificultar a fala e a deglutição.

As aftas somem sozinhas, mas podem reaparecer. O desconforto causado por elas pode ser diminuído através da consulta a um dentista, que prescreverá enxaguantes bucais ou anestésicos tópicos ao paciente.

DEFEITOS NO ESMALTE

A doença celíaca pode gerar a descoloração ou o desenvolvimento precário do esmalte dos dentes. Os dentes com defeitos no esmalte têm pontos em tons marrons, amarelos ou até esbranquiçados. Já o esmalte com má formação é encaroçado ou listrado, e os dentes se apresentam mais transluzentes.

As falhas no esmalte dentário ocasionadas pelo problema com o glúten não têm cura. Logo, essas imperfeições não vão desaparecer mesmo que a pessoa celíaca elimine o glúten da dieta. A solução para essa condição serão os adesivos dentais, também prescritos pelos dentistas.

BOCA SECA

A sensação constante de que a boca está seca pode ser um sintoma da Síndrome de Sjögren, que está comumente associada à doença celíaca. A baixa produção de saliva dificulta a fala e a deglutição, além de proteger os dentes de bactérias nocivas. A boca seca pode ser tratada com hidratação constante, enxaguantes bucais e estimulantes mastigatórios.

OUTRAS COMPLICAÇÕES

As alterações nas estruturas bucais associadas à doença celíaca podem ser ainda: queilite anguar (boqueira) e glossite (língua geográfica). Dor e vermelhidão na língua são associadas à falta de vitamina B12, de ácido fólico e de ferro, cujas absorções podem ser atingidas pelas consequências da doença celíaca no intestino delgado.

Lesões na mucosa bucal e ulcerações também são associados ainda aos celíacos. As úlceras são efeitos mais comuns e podem aparecem nos lábios, palato (céu da boca), mucosa ou na língua, sendo que surge geralmente na cor púrpura, de forma papular ou erosiva.

COMO SE CUIDAR

O tratamento de doença celíaca é essencialmente dietético. O indivíduo celíaco deve excluir todo glúten da sua alimentação, de modo que a adesão e manutenção da dieta exigem muita determinação do paciente e apoio de seus familiares.

Veja algumas dicas que ajudam a seguir a dieta à risca:

LEIA OS RÓTULOS

Hoje em dia, existe uma grande diversidade de alimentos sem glúten disponíveis para vender, os quais podem variar de preços, qualidade, sabores e texturas. No Brasil, a Lei nº 10.674 obriga os produtos alimentícios comercializados a informarem a presença ou não de glúten. Portanto, basta ler os rótulos no momento de realizar suas compras e pesquisar para escolher produtos do seu gosto e de acordo com sua condição financeira.

ADMINISTRE A VIDA SOCIAL

Sabe-se que uma das grandes dificuldades da pessoa diagnosticada com doença é manter a vida uma vida social normal, frequentando festas, bares e restaurantes em que não há opções para celíacos. Contudo, você pode administrar tais situações para não se frustrar no dia-a-dia.

Sair bem alimentado de casa ou fazer marmitas em ocasiões convenientes, como almoços no local de trabalho, são dicas que podem evitar circunstâncias desagradáveis. Além disso, informe seus amigos e familiares próximos sobre seu diagnóstico, para que possam compreender caso você recuse algum alimento ou convite.

Viajar é outra situação que demanda atenção especial dos celíacos. Antes de sair de casa, pesquise se o lugar para o qual você irá se deslocar tem opções sem glúten para comer e viaje ciente do que precisa levar. Assim, você evita grandes deslocamentos para encontrar os produtos adequados ou mesmo passar fome por muito tempo.

PARTICIPE DA ACELBRA

A Associação dos Celíacos do Brasil (Acelbra) surgiu em fevereiro de 1994, em São Paulo, com a finalidade principal de orientar pacientes celíacos com relação à dieta sem glúten, bem como divulgar a doença.

A Acelbra objetiva também fiscalizar o cumprimento da Lei nº 8.543/1992, a qual exige que indústrias alimentícias coloquem em caracteres destacados uma advertência nos rótulos e embalagens de produtos industrializados que contém glúten e seus derivados. Já a Lei nº 10.674/2003 obriga que os rótulos de todos os alimentos comercializados apresentem o texto “contém glúten” ou “não contém glúten”, conforme o caso.

O surgimento de qualquer sintoma que a doença celíaca possa causar deve ser motivo para uma consulta a um médico ou dentista. O problema com glúten deve ser diagnosticado o quanto antes, para evitar problemas permanentes, como o defeito no esmalte dentário. Você é celíaco (a)? Conte sua experiência para nós nos comentários abaixo.

Postagens Recentes
Mostrando 2 comentários
  • Igor
    Responder

    Os produtos bioxtra, podem ser usados em caso de Queilite angular ?

    • bioXtra
      Responder

      Olá, Igor. Os produtos bioXtra somente tem contra indicação a pessoas alérgicas a leite ou ovo.

Deixe um Comentário