Linfoma: a importância do diagnóstico precoce | bioXtra

Linfoma: a importância do diagnóstico precoce

 em Câncer, Causas

Assim como em todas as doenças, se for reconhecida em fase inicial, o tratamento tem maiores chances de sucesso.

O sistema linfático é constituído por órgãos, vasos, tecidos linfáticos e linfonodos (as chamadas ínguas), que se espalham estrategicamente pelo organismo para proteger o corpo contra infecções. Esse sistema é responsável por produzir e transportar o fluido linfático (a linfa) dos tecidos de volta para o sistema circulatório.

O que é linfoma?

O linfoma é um câncer que se inicia nas células do sistema linfático. A patologia acontece quando uma célula desse sistema em funcionamento normal sofre alguma alteração, aumentando muito de tamanho e se alastrando pelo corpo.

Existem vários tipos de linfoma, os quais se comportam de diversas maneiras e em níveis de agressividade diferentes. Entre os mais de 60 tipos conhecidos de câncer do sistema imunológico, esse tipo de câncer é separado em dois grandes grupos: o linfoma de Hodgkin (LH) e o linfoma não-Hodgkin (LNH).

Eles se distinguem entre si por causa das células atingidas, do seu crescimento e desenvolvimento e pela forma como respondem à terapia. Os linfomas de Hodgkin aparecem na célula Reed-Sternberge, uma espécie de célula linfoide; enquanto os linfomas não-Hodgkin ocorrem em outros tipos de célula do sistema linfático.

Causas

Os linfomas geralmente aparecem em pessoas mais idosas, por motivos desconhecidos. Entretanto, algumas das causas são associadas a infecções crônicas, as quais podem propiciar a alteração das células linfáticas. Outras causas ainda podem estar relacionadas a fatores ambientais, como a exposição exagerada a produtos químicos.

A importância do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce dos conhecidos linfomas ainda é questão de preocupação no Brasil. Hoje em dia, ainda não há exames que reconheçam o linfoma não-Hodgkin, por exemplo. Entretanto, é possível diagnosticá-lo em fase inicial observando alguns sinais.

O primeiro sintoma da doença é o aparecimento de ínguas (linfonodos), mesmo sem qualquer sinal de infecção. Isso acontece porque os glóbulos brancos se disseminam de forma anormal, provocando o aumento exagerado dos linfonodos. As ínguas que crescem dessa forma normalmente não são doloridas, diferentemente das que surgem por infecções.

A primeira atitude que deve ser tomada, nesse caso, é a consulta com um especialista, o qual realizará uma biópsia do nódulo afetado. Caso o resultado seja positivo, a etapa seguinte deve ser o estadiamento, processo que pode reconhecer a proliferação da doença para outras partes do organismo.

Os sintomas como cansaço, dor nas pernas, febre, ínguas, palidez, manchas na pele e até convulsões devem ser observados também em crianças. O diagnóstico precoce deve ser o grande aliado também do câncer infantil, pois, se diagnosticado em fase inicial, as chances de alcançar o sucesso no tratamento são muito mais altas.

Os indivíduos expostos a fatores de risco como patologia autoimune, infecções por HIV, transplante de órgãos e tratamento anterior de câncer, devem realizar exames preventivos com frequência, pois estão sujeitos a serem acometidas com a doença.

A importância de estar em constante vigia com a própria saúde física e mental vale para a prevenção de todas as patologias. Entretanto, conseguir diagnosticar a presença de um linfoma em fase inicial é uma forma de garantir o sucesso do tratamento e, assim, poder prolongar a vida com boa imunidade. Você tem observado os sinais do seu corpo? Conte para gente nos comentários abaixo.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário