Mucina e halitose: qual a relação?

Você sabe o que é Mucina? Saiba o quanto ela afeta a sua saúde bucal e descubra sua relação com a halitose.

A halitose ou mau hálito pode ter várias origens. O problema do cheiro desagradável que sai pela boca pode ter causas fisiológicas, patológicas, sistêmicas ou em problemas locais, como ferimentos e cáries.

A maioria dos casos de halitose tem origem na saburra lingual, placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada que se forma na parte posterior da língua. A saburra é formada quando existe uma pequena diminuição do fluxo salivar e uma consequente concentração de mucina, um dos componentes da saliva.

COMPOSIÇÃO DA SALIVA

A saliva é composta por 99% de água, além de substâncias orgânicas e inorgânicas variadas. Entre os componentes, estão sais de sódio, cálcio e magnésio, os quais já são geralmente encontrados nos líquidos do corpo humano. Além desses, compõem a saliva:

  • Ptialina: também conhecida como amilase salivar, é uma enzima com pH neutro ou alcalino, que digere o amido, convertendo-o em maltose.
  • Lisozima: esta é uma enzima que contribui em funções antibacterianas, como inibição da adesão bacteriana às paredes dentárias e do processo glicolítico bacteriano, entre outras.
  • Mucina: por fim, a mucina é uma glicoproteína responsável pela função mecânica de promover viscosidade à saliva, diminuindo assim o atrito do bolo alimentar contra as paredes do tubo digestivo. A mucina salivar também protege superfícies da colonização por bactérias causadoras de cárie dentária.

SABURRA LINGUAL E MUCINA

A saburra lingual é formada quando há uma redução da produção de saliva. Esta placa bacteriana pode aparecer durante as manhãs, por causa da hipoglicemia, da diminuição do fluxo salivar durante e sono e do aumento da flora bacteriana anaeróbica proteolítica.

A diminuição da produção de saliva acaba deixando o líquido bastante viscoso, por causa da alta concentração de mucina. Com isso, a alta viscosidade da saliva favorece a aderência de microorganismos e de restos epiteliais na parte posterior da língua.

O odor desagradável na boca começa a aparecer quando os microorganismos próprios da saburra lingual agem sobre restos epiteliais descamados da mucosa bucal e sobre proteínas salivares. Vale lembrar que a halitose não é contagiosa, ela acomete apenas pessoas com predisposição à sua formação.

A redução da produção de saliva pode estar associada à ansiedade e ao estresse, entre outras causas. O ideal é consultar um profissional que meça o fluxo salivar e trate o problema, caso necessário.

O tratamento contra a saburra lingual através do estímulo do fluxo salivar pode demorar até meses para que os resultados sejam observados. No entanto, o mau hálito diário pode ser aliviado com o controle da saburra lingual, através de técnicas eficientes de limpeza. A remoção da saburra lingual é um método fundamental para a manutenção de um hálito satisfatório.

COMO EVITAR E TRATAR A SABURRA LINGUAL

Combater o aparecimento da saburra lingual pode acontecer através de medidas simples, as quais, além do incômodo na língua, previnem a halitose. Veja como:

Realize uma higienização completa

Escove os dentes após as refeições, utilize os fios dental ou escova interdental nas áreas de difícil acesso e faça bochechos com enxaguante bucal adequado para você. Também é muito importante escovar a língua para eliminar todos os resíduos de alimentos da boca.

Beba água

A hidratação constante durante o dia também ajuda a evitar a língua esbranquiçada, pois auxilia naturalmente a lubrificar a região bucal, evitando a formação da saburra.

Raspe a língua

A remoção mecânica da saburra lingual é a forma imediata mais eficiente de eliminá-la. A raspagem da língua ser feita com uma escova de dentes ou com um raspador específico. Existem diversos tipos de limpadores linguais disponíveis no Brasil, os quais conseguem resolver o problema satisfatoriamente.

O raspador para remoção da saburra lingual é mais eficiente que a escova de dentes, sendo que ele consegue eliminar aproximadamente 1,3 gramas de resíduos, enquanto a escova é capaz de remover apenas cerca de 0,6 gramas.

Identifique a causa

O surgimento da saburra lingual geralmente está relacionado à baixa produção de saliva. Portanto, é importante identificar o motivo da diminuição do fluxo salivar o tratar o problema, que pode ser sintoma de uma doença grave no organismo.

O problema pode ter aparecido, por exemplo, por conta de doenças sistêmicas ou infecciosas. Nesses casos, o ideal é que o acompanhamento seja feito de maneira integrada entre médicos e dentistas, para que o tratamento seja o mais eficiente possível e evite outros efeitos desagradáveis.

Mantenha a língua oxigenada

As pessoas com saburra lingual devem manter a superfície lingual bastante oxigenada. Existem diversos oxidantes que podem ajudar nesse fim, como a própria água oxigenada, que pode ser utilizada com bochechos, até produtos com formulações específicas e ação antimicrobiana.

Alimente-se bem

Diversos alimentos podem ajudar na limpeza da língua e de toda a região bucal. As comidas ricas em fibras, por exemplo, auxiliam no combate à formação do muco. Já algumas frutas e verduras, como cenoura, goiaba, maçã e morango, favorecem a eliminação da saburra, sem permanecer na superfície lingual.

Mantenha hábitos saudáveis

Manter um estilo de vida mais saudável também pode evitar a formação da saburra lingual. Hábitos que provocam a desidratação, como o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas, são alguns dos que devem ser evitados.

O hábito de fumar colabora para a inflamação da superfície da língua, favorecendo o acúmulo de resíduos alimentares e células mortas, o que contribui ainda para a formação de biofilmes bacterianos. Além disso, a fumaça do cigarro possui substâncias químicas nocivas à saúde e à mucosa bucal, podendo prejudicar todo o organismo.

O consumo excessivo de álcool, por sua vez, também pode causar inflamação na língua, bem como causar desidratação. O tabagismo e o consumo de álcool provocam ainda a halitose, incômodo que pode aparecer mesmo em pessoas que não tenham saburra lingual.

Conhecer a causa raiz do mau hálito possibilitará que o tratamento aconteça da melhor forma e a alteração no fluxo salivar seja solucionada o quanto antes. O problema de halitose é desagradável não só para a pessoa diagnosticada, mas também para quem convive com ela.

A situação pode ser desconfortável e constrangedora, porém tem solução. Já passou por essa situação? Compartilhe sua experiência conosco e conte-nos como foi feito o tratamento.

Postagens recentes

Deixe Seu Comentário