Microcefalia: tudo que você precisa saber! | bioXtra

Microcefalia: tudo que você precisa saber!

 em Dia a dia, Notícia

Veja neste artigo o que é microcefalia, causas, diagnóstico, tratamentos indicados e o prognóstico. Entenda e se conscientize sobre essa condição rara!

Condição rara em que o cérebro e a cabeça tem crescimento abaixo do esperado para a idade. Essa condição rara é neurológica e pode ser diagnosticada logo no início da vida.  

A microcefalia pode ter diversas origens, tais como ingestão de substâncias durante a gestação, contato com bactérias, vírus e radiação.

Em casos mais raros, bebês nasceram sem indícios de microcefalia. Porém, ao longo dos meses e anos a característica vai ganhando força e se manifestando fisicamente.

Médicos indicam consultas mensais durante os primeiros meses do bebê. Durante o acompanhamento além dos exames tradicionais, deve ser medido o perímetro cefálico regularmente.

É importante ressaltar que apesar de não haver cura para a microcefalia, quanto antes a condição for descoberta, maior apoio, estímulo e estrutura a família poderá prover para a criança.

Em sua maioria, as crianças com microcefalia apresentam dificuldades no desenvolvimento. O que as faz crescer com uma diferença não só física mas também intelectual.  

Tipos de microcefalia

Segundo a OMS, a condição pode ser vista de duas formas de acordo com padrões pré-estabelecidos.

Microcefalia

Nesta categoria se encaixam bebês recém-nascidos com o perímetro cefálico abaixo da média esperada para tamanho, comparando com sexo e idade em até 2 desvios padrão.

Microcefalia grave

São considerados casos graves quando o recém-nascido tem o perímetro cefálico abaixo de 3 desvios-padrão comparando com idade e sexo do bebê.

Quer comparar o perímetro cefálico do seu filho com o padrão saudável? Clique aqui e use a calculadora disponibilizada pelo Ministério da Saúde.

Possíveis causas da microcefalia

As possíveis causas da microcefalia são o ponto de partida para as investigações médicas da raiz do problema. É importante entender se a condição veio atrelada a alguma doença genética ou não.

  • Caso de desnutrição na gravidez;
  • Caso de rubéola na gravidez;
  • Toxoplasmose congênita na gravidez;
  • Exposição a álcool e drogas durante a gravidez;
  • Infecção congênita por citomegalovírus;
  • Malformação do sistema nervoso central;
  • Má oxigenação no cérebro durante o parto.

Doenças atreladas a microcefalia

A condição em muitos casos vem junto a outra doença, veja as mais frequentes abaixo:

A relação entre microcefalia e zika vírus

Muito se foi falado sobre relação da microcefalia com o zika vírus, já que em 2015 o Brasil sofreu com um surto de casos relacionando os casos.

Transmitido pelo Aedes aegypti, mesmo agente transmissor da dengue e chikungunya, o zika além de todo seu quadro infeccioso na mãe, também afeta as células cerebrais fetais.

Estudos ainda tentam esclarecer a relação entre os casos e outros impactos que possam existir. Porém, uma vez que as tais células são imprescindíveis para a formação correta do crânio e estas são afetadas com o ZIKAV, a relação se torna cada vez mais clara.

Como é feito o diagnóstico?

A microcefalia quase sempre é diagnosticada nos primeiros meses de vida, por esse motivo, o profissional com maior acompanhamento é o pediatra. Mas realizar uma consulta com um neurologista infantil é um bom caminho para fechar o diagnóstico correto.

O exame mais tradicional para diagnóstico da microcefalia é a medição da cabeça. Existe uma tabela com os valores de referência relacionando idade aos centímetros saudáveis.

Além da observação do diâmetro da cabeça, podem ser requeridos diversos exames como:

  • Exames de sangue completos;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética.

Tratamentos indicados

A microcefalia por ser uma doença neurológica, ela não tem cura. Os tratamentos são apenas para controlar os efeitos negativos e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Para auxiliar a vida e o bem estar dessas pessoas, a melhor forma é manter o acompanhamento médico com diversas especialidades. As mais indicadas são:

  • Pediatra / clínico geral;
  • Fisioterapeutas;
  • Dentistas;
  • Fonoaudiólogos;
  • Terapeutas ocupacionais.

A descoberta da condição muito cedo é determinante para tratar algumas complicações, como a fusão prematura das suturas dos ossos cranianos. Se diagnosticado precocemente, a cirurgia é feita logo nas primeiras semanas de vida, evitando complicações futuras.  

Conhece alguém que sofre com a condição ou que se interessa por este assunto? Compartilhe o artigo nas suas redes sociais e ajude na conscientização da microcefalia!

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

pitiríase