fbpx

Mulheres com ovários policísticos tem mais chances de ter diabetes?

 em Dia a dia, Diabetes

Condição hormonal que afeta a saúde da mulher. Descubra aqui se mulheres com ovários policísticos têm mais chances de ter diabetes! 

Distúrbio hormonal que causa um aumento no tamanho dos ovários, com pequenos cistos na parte externa deles. O ovário policísticos é uma condição muito comum e conta com mais de 2 milhões de novos casos por ano no Brasil.

A condição está presente em aproximadamente uma a cada cinco mulheres em idade reprodutiva, e foi considerada durante muito tempo como uma condição que afetava apenas a parte reprodutiva da mulher. Porém, estudos apontam que ela agrava o risco de doenças cardiovasculares, obesidade, pressão alta e resistência a insulina.

Os primeiros sintomas da síndrome dos ovários policísticos geralmente acontecem logo após a primeira menstruação. Em alguns casos, a doença se desenvolve mais tarde, durante os anos reprodutivos, provavelmente em resposta a algum gatilho hormonal, como o ganho de peso.

Sintomas de ovário policístico 

  • Pequenos cistos nos ovários identificados na ultrassonografia;
  • Menstruação desregulada, com intervalos menstruais longos, menos de oito ciclos menstruais por ano, amenorreia por quatro meses ou mais e períodos de menstruação intensa e prolongada;
  • Altos níveis de hormônios masculinos, o que pode resultar em características físicas como excesso de pelos faciais e no corpo, acne adulta ou adolescente severa e calvície de padrão masculino. 

Apesar dos estudos na área, a causa da condição ainda é desconhecida, mas mulheres com histórico familiar de síndrome de ovários policísticos, baixo peso no nascimento e que desenvolveram pelos pubianos muito jovens tem maiores chances de desenvolver.

Como é feito o tratamento? 

A mulher precisa estar atenta ao sintomas descritos acima para relatar ao médico rapidamente. O diagnóstico precoce e o tratamento da síndrome do ovário policístico pode ajudar a reduzir o risco de complicações. As especialidades médicas que podem diagnosticar a síndrome dos ovários policísticos são:

  • Ginecologia
  • Obstetrícia
  • Clínico geral
  • Endocrinologia

O tratamento para síndrome dos ovários policísticos geralmente se concentra na gestão dos sintomas e complicações. O tratamento pode incluir a perda de peso das pacientes que estão em sobrepeso ou obesidade. Pacientes que desejam engravidar, o uso de um indutor de ovulação pode ser indicado pelo médico. Para as pacientes que não desejam engravidar no momento, a medicação mais frequente é o contraceptivo hormonal oral.

Relação com diabetes

Médicos apontam que as mulheres com ovário policístico apresentam maior risco de diabetes por apresentarem maior resistência insulínica. O resultado é que o corpo irá produzir mais insulina porque as células ficam menos sensíveis à ação dela.

No corpo saudável as células respondem à ação da insulina absorvendo glicose para gerar energia ou para armazenamento. Quando o corpo da paciente oferece resistência, é como se para absorver a mesma quantidade de glicose, fosse necessária mais insulina. 

O problema é que, no ovário, essa resistência à insulina determina o erro no desenvolvimento dos folículos e excesso de produção de hormônios masculinos.

Conseguiu entender a relação da síndrome de ovários policísticos e diabetes neste artigo? Compartilhe nas suas redes sociais com seus amigos para aumentar a conscientização da doença!  

Desculpa! O autor ainda não preencheu seu perfil.
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

bulimiaSíndrome de Münchhausen