fbpx

Quais são os tumores mais comuns de glândulas salivares? 

 em Câncer

Você sabe a importância das suas glândulas salivares? As glândulas salivares são as responsáveis pela produção da sua saliva. A saliva por sua vez é importante para lubrificar a boca, ajudar na deglutição, auxiliar na digestão dos alimentos e contém anticorpos e outras substâncias que ajudam a prevenir infecções. Porém, essas glândulas também estão suscetíveis a desenvolver certos tipos de tumores.

Nesse artigo vamos conhecer os mais comuns tipos de tumores das glândulas salivares, seus principais sinais e sintomas, seu diagnóstico e seu tratamento.

Glândulas Salivares

Existem dois tipos de glândulas salivares, as maiores e as menores. Os três principais pares de glândulas salivares maiores são:

  •         Glândulas parótidas localizadas no interior das bochechas;
  •         Glândulas submandibulares localizadas no assoalho da boca;
  •         Glândulas sublinguais localizadas sob a língua;

Porém, existem centenas de glândulas salivares menores que se estendem por toda a boca – especialmente no palato – até a parte inferior da faringe.

 A saliva deixa as glândulas por meio dos ductos salivares, responsáveis por essa drenagem.

Tumores das glândulas salivares

Todas as glândulas salivares podem desenvolver tumores benignos ou malignos. O câncer das glândulas salivares corresponde por cerca de 5% a 7% dos cânceres de cabeça e pescoço, com estimativa no Brasil de 1 a 2 casos para cada 100.000 habitantes.

As glândulas parótidas são as maiores de todas as glândulas salivares, assim de cada 10 casos de tumores das glândulas salivares sete acometem as parótidas. Entretanto, a maioria dos tumores são benignos, mas também é onde ocorre a maior parte dos casos de câncer das glândulas salivares.

Tumores Benignos

A maioria dos tumores da glândula salivar não é câncer. Estes são chamados de tumores benignos.

Existem diferentes tipos de tumores benignos. O tipo mais comum são os adenomas pleomórficos que geralmente crescem lentamente. E após um longo período de tempo se não for removido, raramente, pode se tornar câncer.

Os tipos de tumores não benignos da glândula salivar incluem:

  1.   Adenoma basocelular;
  2.   Adenoma canalicular
  3.   Oncocitoma
  4.   Tumor de Warthin

Tumores malignos

Os principais tipos de tumores malignos são os carcinomas mucoepidermóides e carcinomas adenóide císticos.

Os carcinomas mucoepidermóides são o tipo mais comum de câncer de glândula salivar, acometendo tipicamente pessoas entre 20 e 50 anos. A maioria desenvolve-se nas glândulas parótidas.

A maioria dos cânceres mucoepidermóides têm crescimento lento, mas pode crescer rapidamente.

Já o carcinoma adenóide cístico tem com caraterísticas um crescimento lento, porém, é muito difícil eliminá-los completamente, porque eles tendem a recidivar após o tratamento, e às vezes anos depois.

Os carcinomas adenóides císticos, geralmente, acomete pessoas entre 40 a 60 anos, e seus sintomas incluem dor grave e, com frequência, paralisia facial periférica.

Cerca de 15 em cada 100 cânceres de glândula salivar (15%) são cânceres adenóides císticos.

Os adenocarcinomas são raros tipos de câncer da glândula salivar. Eles se desenvolvem nas células epiteliais. Estas são as células do revestimento do corpo. Eles podem se desenvolver nas glândulas salivares maiores ou menores.

Os tipos de tumores cancerígenos (malignos) da glândula salivar incluem:

  1.   Carcinoma de células acínicas
  2.   Tumor misto maligno
  3.   Carcinoma de células escamosas

Sinais e sintomas

Quando há um problema com as glândulas ou nos ductos salivares, você pode ter sintomas mais comuns como inchaço das glândulas salivares, febre e drenagem de sabor desagradável na boca.

Porém, outros sinais e sintomas de tumores das glândulas salivares podem incluir:

  •         Dormência em parte do seu rosto;
  •         Fraqueza muscular em um lado do seu rosto;
  •         Dor persistente na área de uma glândula salivar;
  •         Dificuldade para deglutir;
  •         Problemas para abrir sua boca;
  •         Xerostomia ou Boca Seca;

Nos casos em que o paciente apresente xerostomia (boca seca) a bioXtra disponibiliza dentre sua linha de produto a saliva artificial, a bioXtra Gel Oral

A saliva artificial atua como um substituto eficaz para a saliva natural regulando o microambiente da boca. Sua formulação exclusiva contém hidratantes intensos que hidratam e umedece a boca por horas, ajudando a aliviar os sintomas e efeitos da xerostomia (boca seca).

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito por um exame clínico e quando necessário são solicitados exames por imagem para avaliar a extensão e a natureza da lesão. Geralmente, os médicos pedem ultrassonografia, tomografia, ou mesmo uma ressonância magnética.

A biópsia por aspiração por agulha fina (BAAF) pode ser feita em alguns casos para definir se a lesão é benigna ou maligna.

FATORES DE RISCO

Pouco de sabe sobre suas causas ou mesmo fatores de risco, mas alguns estudos apontam como, principais, fatores de risco:

  •         Idade: o risco aumenta com a idade.
  •         Sexo: os cânceres de glândulas salivares são mais comuns em homens do que em mulheres.
  •         Exposição à radiação: tratamento radioterápico prévio na região de cabeça e pescoço também aumenta o risco.
  •         Infecção crônica pelo vírus Epstein-Barr;
  •         Tabagismo;

Tratamento do câncer de glândula salivar

As opções de tratamento para o câncer de glândula salivar dependem em grande parte do estágio do câncer, onde o câncer está, seu tamanho, se ele se espalhou para outro lugar e como está a saúde geral do paciente.

Cirurgia e radioterapia são os principais tratamentos para o câncer de glândula salivar. A quimioterapia geralmente é usada apenas como tratamento para câncer avançado de glândula salivar.

 

Desculpa! O autor ainda não preencheu seu perfil.
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Ferida na boca